Cuidados contra as doenças venéreas! 
Por Manuel Luciano da Silva, Médico

As doenças sexuais são mais conhecidas pelo nome de doenças venéreas. Venérea é derivada de Venus, deusa romana do amor! 

As doenças venéreas são tão velhas como a humanidade, porque os organismos que causam as doenças sexuais só se desenvolvem no corpo humano e não são capazes de sobreviver por muito tempo fora do nosso corpo! 

 

 

Deusa Venus do Amor, no Museu de Louvre, em Paris, França 

Actualmente a medicina tem meios para diagnosticar sempre, isto é,  cem por cento, todas as doenças venéreas. Praticamente quase todas as doenças venéreas podem ser curadas com a penicilina e outros antibióticos. (Com excepção da Sida). Poderíamos portanto eliminar da superfície da terra todas as doenças venéreas como se fez, por meio da vacinação, com a varíola. Mas, até à data tem sido impossível conquistar o mesmo objectivo com as doenças venéreas. 

As doenças venéreas são causadas por três grupos de organismos: 

(1) Vírus, 
(2) Bactérias  
(3) Parasitas. 

Doenças virais: 

a) Herpes dos tipos I e II. 
b) Cravos virais. 
c) Clamídia (intermediada). 
d) Sida

Doenças bacterianas

a) Gonorreia ou esquentamento. 
b) Sífilis. 
c) Hemofilus vaginalis. 
e) Cancróide.

Doenças parasitárias:

a) Tricomonas. 
b) Cândida. 
c) Piolhos. 
c) Sarna.

HERPES existe em dois tipos. Tipo I causa bolhinhas acima da cintura e é característico das borrefas da constipação, que aparecem nos lábios, boca e entrada do nariz. Tipo II é o herpes genital cujas borrefas aparecem da cintura para baixo: no pénis, na uretra, na vulva, na vagina e no colo do útero. Ultimamente o tipo II tem aumentado muito de frequência devido à prática do sexo oral. O Herpes II não mata os adultos, mas há cientistas que dizem que causa cancro do útero (colo). Mas se uma mulher está grávida e tem Herpes II a criança ao nascer por via vaginal contrai meningite e morre. Nestes casos o parto tem que se fazer por cesariana. 

SIDA ou AIDS. Esta doença,  causada por um vírus específico, é sobejamente  conhecida  como a doença venérea mais perigosa que presentemente  existe no mundo. Está a tornar-se  na maior calamidade pandémica da humanidade.   Infelizmente,  entre os 25 países da União Europeia,  Portugal é o campeão no número relativo de casos de Sida. 

CRAVOS VENÉREOS não são da mesma qualidade dos cravos das mãos ou dos pés. São causados por um vírus venéreo e são muito contagiosos. Não desaparecem por si, continuam a crescer e devem ser eliminados pelo médico, com processos especiais.

GONORREIA ou esquentamento é a doença venérea mais frequente a seguir a herpes. Entre as doenças infecciosas a constipação está em primeiro lugar, em segundo a herpes e terceiro a gonorreia! A gonorreia aparece mais frequentemente nos jovens devido à sua promiscuidade sexual. Tem um período de incubação de 2-7 dias, mas a grande maioria das pessoas infectadas (até 80 por cento) não apresentam sintomas  agudos da doença. Exactamente por causa disso a precaução extra é  mandatória.

SÍFILIS é um termo paradoxal! A palavra sífilis quer dizer: "fazer amor juntos". Para melhor compreendermos como é que a palavra sífilis nasceu, vamos descrever primeiro como surgiu o nome: Filadélfia. 

Em 1681, William Penn obteve uma licença do Rei da Inglaterra para fundar uma aldeia na margem do Rio Delaware. Buscando um nome apropriado para a nova aldeia, Penn foi ao grego, apanhou a palavra "phylos" que quer dizer "amor" e juntou-lhe outro vocábulo grego "delphos" que significa "irmão" e criou assim uma palavra composta "Phylosdelphos" ou Filadélfia, Cidade do Amor Fraternal.

Mas, 150 anos antes, em Veneza, Itália, nasceu o nome Sífilis que foi criado pelo famoso médico Girolamo Fracastoro, que também era um excelente poeta. Num poema em latim, mas com rima, Fracastoro descreveu os sinais e sintomas da doença a que hoje chamamos sífilis. O poema tornou-se muito famoso chegando a ser usado durante muitos anos, como texto nas escolas médicas da Europa.

Naquela altura (1530) a doença era conhecida na Itália por "mal francês" e na França por "mal italiano". Cada nação nomeava a doença venérea pela nação sua inimiga. Em Portugal era conhecida como "doença espanhola" e em Espanha, claro está, por "mal português".

No seu imortal poema,  o Dr. Fracastoro relata a história de um pastor, que num fim de semana desceu à cidade para se divertir e fazer amor... mas os deuses castigaram-no com a doença venérea!... Fracastoro em vez de dar ao pastor o nome de António, João ou Manuel,  resolveu criar um nome que descrevesse melhor o seu protagonista. Assim, usando a liberdade poética-médica, foi ao grego e apanhou o prefixo "syn" que quer dizer "fazer juntos" e juntou-lhe a palavra "phylos" que quer dizer, como já sabemos, “amor”. Desta maneira o pastor foi baptizado com o nome de  "syn + phylos" ou Sífilis que quer dizer '' fazer juntos amor '' !

Em 1563, Thomas Gale, cirurgião inglês, foi o primeiro a usar o nome sífilis na língua inglesa. Muito mais tarde, em 1905, os Doutores Schaudinn e Hofmann (alemães) descobriram o micróbio da sífilis. Deram-lhe o nome de Treponema Pallidum e ao microscópio tem o feitio de um saca-rolhas. Em 1929 o Dr. Alexander Fleming descobriu a penicilina, medicamento  que se começou a usar em 1941, e que cura todas as formas de sífilis. Se a pessoa é alérgica à penicilina certamente que se deve usar outro tipo de antibiótico.

Cuidado! Cuidado! 

Tenho verificado que tanto um homem como uma mulher, quando procuram o médico, por suspeita de doença venérea, não só mostram muita apreensão, mas também revelam muita raiva à outra pessoa que lhe pegou a doença! Até preferem que a "outra pessoa" tenha sintomas que sirvam de castigo! Por isso, em vez de gastarmos tempo a descrever os sinais e sintomas de cada doença venérea, julgo muito mais proveitoso fornecer os sinais e sintomas alarmantes das doenças venéreas no homem e na mulher. 

No homem: 

(1) Ardume ao urinar.
(2) Corrimento pelo pénis. 
(3) Inflamação da cabeça do pénis. 
(4) Bolhas, úlceras ou cravos no pénis ou nas partes masculinas. 
(5) Inchaços ou "galos" à volta do pénis.
(6) Dor nos testículos ou parte inferior do abdómen.  
(7) Comichões especialmente nas partes com cabelo.  
(8) Comichão no ânus e dor ao defecar.  
(9) Borbulhas e comichões espalhadas pela pele.
10) Comichão e corrimento nos olhos.  
(11) Úlceras nos lábios, boca e no corpo.  
(12) Inchaço dos gânglios, com febre.

Na mulher: 

(1) Corrimento vaginal.
(2) Comichões e inflamação das partes femininas.
(3) Ardume ao urinar.
(4) Lábios vaginais inchados.
(5) Bolhas, úlceras ou cravos nas partes da mulher. 
(6) Dores no acto sexual. 
(7) Inchaço ou 'galos' à volta das partes femininas. 
(8) Dores na parte inferior do abdómen. 
(9) Comichões especialmente nas regiões com cabelo. 
(10) Comichões no ânus e dor ao defecar. 
(11) Borbulhas e comichões espalhadas pela pele. 
(12) Comichões e corrimento nos olhos. 
(13) Úlceras nos lábios, boca ou corpo. 
(14) Inchaço dos gânglios, com febre.

Prevenção 

Todo o indivíduo que tenha alguns destes sinais ou sintomas alarmantes não deve hesitar, nem adiar ser examinado numa clínica ou pelo seu médico de família para ter a certeza absoluta que não tem doença venérea. Hoje existem nos Estados Unidos ainda dois milhões e meio de pessoas que tem a gonorreia e meio milhão de sifilíticos. Todos eles poderiam e deviam ser curados completamente. Mas pelo contrário continuam, infelizmente, a espalhar por toda a parte estas doenças venéreas!

A maneira mais pratica e simples de se evitar as doenças venéreas é ter relações sexuais SÓ COM UMA PESSOA ou então exigir SEMPRE o uso do preservativo ou borracha. Devemos lembrar que D. V. quer dizer doenças venéreas, mas as iniciais D. V. também querem dizer DOENÇAS VIS, isto é, que atacam os órgãos vitais como o coração e o cérebro que levam à morte!  

Return